Muitas religiões e filosofias acreditam que a nossa vida na terra é de expiação e provas para pagarmos dívidas de outras vidas e tentarmos evoluir. Não há como negar que todos têm problemas para resolver, alguns bem graves outros mais amenos. Mas todos, em alguns momentos da vida, se deparam com sofrimento e angústia. E nos perguntamos “Por que isso acontece comigo? Por que tenho que passar por isso?”
O fato de estarmos acertando contas de outras vidas, responde em parte nossas aflições, mas não resolve o problema. Com certeza as provas e expiações que aparecem em nosso dia a dia também estão ligadas ao nosso jeito de pensar e de agir. Assim, como não temos noção de nossas faltas em outras vidas, resta-nos analisar o que estamos fazendo de errado nessa.
A primeira coisa que temos que ter consciência é que ninguém é perfeito, todos têm defeitos, distorção da realidade, manias. E com certeza, nas relações entre as pessoas, essas questões provocarão problemas, desavenças, brigas. De posse desse conhecimento, a primeira ação a tomar é entendermos o outro, perceber suas dores e perdoar.
E quanto à nossas ações? Primeiro é preciso pensar, analisar. Mas deve-se ter um equilíbrio da atenção que dispendemos para isso. É importante raciocinar e clarear em mente todas as variáveis envolvidas. Mas deve-se ter cuidado em não ser absorvido por esses pensamentos ao ponto de tornarem-se uma obsessão, que não levará a nada, ao contrário, piorará ainda mais o nosso estado de espírito.
É importante nesses casos, que tenhamos momentos relaxantes, meditativos, silenciosos em contato com a natureza. Praticar um esporte ou atividade física também é uma ótima opção. Nossa mente precisa desses momentos “vazios” para que as inspirações (insights) possam ter condições de chegar até nós. Com uma mente turbulenta é mais difícil de acontecer isso. Além disso, temos que ter a consciência de que sempre haverá problemas, mas eles passarão. Tudo passa!
Resumindo, se tivermos a consciência que os problemas sempre existirão, tenhamos calma de raciocinar sobre eles e relaxemos um pouco. Busquemos fazer o que é certo e ético para nós. Todos erraram, inclusive nós e no final tudo passa.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *